11 de junho de 2008

agradecimentos

Como dito no primeiro post, este blog foi criado para o registro das atividades da Disciplina Seminário Tópico Variável em Linguagem e Tecnologia; visão panorâmica sobre o ensino de línguas mediado por computador, do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da UFMG, sobre orientação da Profª Drª Vera Menezes.


Foi um excelente espaço para troca de experiências e de grande aprendizado, entre a equipe responsável pelo blog e entre os colegas que participaram, deixando seus comentários e suas contribuições.
Agradecemos a todos, pela oportunidade de nos conhecermos e, principalmente, interagirmos.


O blog fica por aqui, como um registro deste processo e como um espaço para pesquisa, sobre as diferentes ferramentas que possam tornar a interação mútua uma realidade na sala de aula de línguas.

a avaliação do seminário

Nossos colegas avaliaram nosso desempenho durante o seminário.
Os resultados foram estes:
1-Em relação ao texto obrigatório:
Contribuiu para aprendizado do tema = 100%

2- Em relação à interação no seminário:
Foram muito proveitosas = 100%

3- Em relação às ferramentas de interação apresentadas no blog:
Poderão ser utilizadas como referências para suas aulas = 100%

4- Em relação ao atendimento do grupo 1, às dúvidas / perguntas:
Foi satisfatório: 100%

Comentário acrescentado:
Foi satisfatório demais! Todas as minhas perguntas no fórum e comentários no blog foram respondidos.

5- O desempenho do grupo 1 pode ser considerado:

Muito bom = 80%
Bom =10%
Excelente = 10%

6- A interação no formulário pode ser considerada:
Mútua= 20%
Reativa= 40%
Mútua e reativa = 40%


7-Gostaria de acrescentar algum comentário:
- O blog ficou ótimo
- Você deram um show
- O seminário foi muito bem conduzido, o blog bem organizado e o suporte por parte dos membros do grupo também foi muito bom... Ah... o texto escolhido para leitura também é riquíssimo e possibilitou-nos um novo olhar sobre interação! Parabéns pessoal!
- Muito bem formulado e bastante amplo. Sem dúvidas uma referência muito boa sobre o assunto.
- Confesso que este foi o seminário até agora de que eu mais participei: no blog e no fórum. Vocês conseguiram guiar o seminário de uma forma muito satisfatória: atendendo a todos, o blog está muito interessante e as questões levantadas por vocês geraram discussões muito relevantes. Meus parabéns!
- Excelente trabalho
- O grupo conseguiu ser bem abrangente!!
- A interação foi excelente!

Por estes dados podemos concluir que, o texto básico para discussão que apresenta diferentes aspectos de interação foi importante para o conhecimento sobre o assunto, o que, consequentemente, gerou um número expressivo de interações no fórum. Contribuiu ainda, para que as ferramentas apresentadas no blog pudessem ser analisadas de forma adequada pelos colegas, em relação à interação na aprendizagem de línguas.
Em relação ao desempenho do grupo, os colegas consideraram-no como muito bom ( 80%),demonstrando que, a interação no blog e no fórum, pelos elementos do grupo 1, contribuiu para o estudo do tema interação.

Em relação à ferramenta utilizada para a avaliação, apesar de haver em todas as questões a possibilidade de respostas abertas, o empate entre o tipo de interação mútua e interação mútua e reativa, demonstra que ainda há uma certa dificuldade ao se analisar softwares em relação aos aspectos interacionais.

a contribuição da colega

Em nosso seminário apresentamos como texto básico para discussão o artigo do Professor Alex Primo:"Interação mútua e interação reativa: uma proposta de estudo".
E nossa colega Cida, nos presenteou com uma tabela que resume os tipos e as formas de interação, propostos pelo pesquisador.




(clique na imagem para ampliar)

29 de maio de 2008

Avaliando o seminário

Colegas:
estamos disponibiizando a avaliação de nosso trabalho.
Gostaríamos muito de contar com sua participação.
Para realizar a avaliação clique aqui.
Agradecemos,
Grupo 1

25 de maio de 2008

pausa

Olá pessoal:

Durante esta semana somos responsáveis pelo desenvolvimento do seminário virtual sobre Interação e Comunicação na sala de aula de línguas.

Por esta razão,só voltaremos a fazer uma nova postagem na quinta-feira, dia 29, para que os colegas do curso possam ter um tempo para analisar as contribuições que apresentamos neste blog.

E, na quinta-feira, voltaremos com a avaliação de nosso seminário.

Berkeley põe vídeos de aulas na Internet

Berkeley - A Universidade de Berkeley, famosa por seus movimentos contra a guerra a favor da liberdade de expressão nos Estados Unidos, disponibilizou vídeos de suas aulas no site gratuito YouTube.Mais de 300 horas de aulas e eventos da universidade californiana estão disponíveis no site HYPERLINK "http://www.youtube.com/ucberkeley"O material disponibilizado inclui aulas sobre a paz e os conflitos, cursos de bioengenharia e uma aula de ciência intitulada "física para futuros presidentes" disse a vice-reitora Christina Maslach.
Temos alguma universidade no Brasil que viabiliza este tipo de aula?
No Brasil o You tube com as imensas possibilidades pedagógicas citado por Prof. Leffa em entrevista concedida ao Grupo 3, possui uso relevante para o ensino-aprendizagem de línguas?

Video conferência

A vídeo conferência proporciona a comunicação com falantes nativos e estudantes em lugares distantes. Ela pode ser mais complexa quando é feita por satélites, ou mais simples com o uso de uma câmera conectada ao computador.
Segundo Levy & Stockwell (2006, p.211) “A vídeo conferência não necessariamente significa apenas uma troca de vozes e imagens dos falantes.” Ao visualizar com quem está conversando, o aluno possui momentos de prática oral o que não é possível em um curso on line normal. Ainda é pouco usado devido às dificuldades de acessibilidade com qualidade de som e imagem, mas possui um enorme potencial no ensino-aprendizagem de línguas. Vejam por exemplo o congresso no Aulavox com a participação de 1489 pessoas e mais de 50 trabalhos inscritos que acontece nesta semana.

Ao falar de vídeo conferência Levy & Stockwell (2006, p.94) coloca como ponto positivo desta ferramenta a prática de aural skills, o que vocês acham?

Para leituras adicionais sobre desktop vídeo conferência leiam “Using Internet-based audio-graphic and vídeo-conferencing for language teaching and learning” (Regine Hampel and Eric Barber) in Language Learning Oline: Towards Best Practice (ed. Uschi Felix, 2003)

O Twitter pode ser rede social ?



E como utilizar na aprendizagem de línguas?

24 de maio de 2008

E as redes sociais na internet?


Vamos comentar sobre o que chamaremos de "redes sociais na internet". Segundo Raquel da Cunha Recuero (2005, p. 9), esses sistemas "funcionam com o primado fundamental da interação social, ou seja, buscando conectar pessoas e proporcionar sua comunicação e, portanto, podem ser utilizados para forjar laços sociais" (artigo completo aqui). Não pretendemos analisar as implicações do termo em questão, mas queremos diferenciar essas redes das listas de discussão e dos blogs, pelo seu alto poder de conectar um número enorme de pessoas ao redor do mundo. Vamos nos referir especialmente ao Orkut, devido ao seu vastíssimo uso no Brasil (segundo dados de hoje, 53, 83 % dos seus usuários são brasileiros). Além do Orkut pessoal, as pessoas se agrupam, segundo seus interesses, em comunidades virtuais, que oferecem recursos como fóruns de discussão e enquêtes, podem ou não ser moderadas, algumas são muito ativas com novos temas e comentários diferentes a cada dia e outras permanecem inativas. Existe também o My Space, que conecta principalmente músicos ao redor do mundo, comprove visitando o do músico mineiro Juarez Moreira ou da banda inglesa Deep Purple.

Você acha que essas redes podem ser úteis de alguma maneira para o ensino/ aprendizagem de língua materna ou estrangeira?

23 de maio de 2008

FLICKR


Fotos no Ciberespaço


O Flickr é um site da web classificado como rede social de comunidade fotográfica. Atualmente possui milhões de usuários e centenas de milhões de arquivos. O Flickr é um dos ícones da Web 2.0, pelo nível de interação mútua que essa ferramenta permite aos agentes.

A ferramenta possibilita ao usuário o realce de fotos e vídeos, o armazenamento, a criação de álbuns de fotografias e documentos gráficos como cartões de visita, livro de fotos, apresentação de slides em DVDs, selos postais, etc.

Comente contribuindo para um banco de idéias sobre as implicações pedagógicas deste site.

Interações Mútua e Reativa


Grandes Parceiras no Ensino de Línguas Estrangeiras


Conscientes das contribuições valiosas dos sistemas interativos mútuos, vale aqui uma questão. E os sistemas reativos? Vamos descartá-los, acreditando que não oferecem possibilidades de aprendizagem?

Para responder esta pergunta visite os sites das emissoras BBC e NBC e faça seus comentários sobre as possíveis contribuições desses ambientes reativos ao aprendizado de Língua Estrangeiras.

22 de maio de 2008

Mensagens instantâneas

O serviço de mensagens instantâneas, também chamadas de chats ou bate-papos, que permite o envio e recebimento de mensagens em tempo real, continua evoluindo desde os primórdios do ICQ e a cada dia encontramos novos recursos. Hoje podemos também bater papo com voz ou até ver com quem estamos falando através de uma webcam, além de criar conferências com vários usuários ao mesmo tempo. O MSN, por exemplo, hoje denominado Windows Live Messenger, já está prestes a lançar a sua nona versão com mais atualizações.
O Skype oferece ainda uma altíssima qualidade para os chats com voz, tanto de computador para computador, quanto de computador para um telefone de qualquer lugar do mundo.
Passei por algumas experiências muito significativas com o uso de conferências com voz pelo Skype, pelas quais acredito que possam servir como um importante complemento para as aulas de língua estrangeira a distância ou em cursos semi-presenciais, com pequenos grupos.

Aqui vão algumas dicas:
- Todos os usuários deverão estar conectados ao mesmo tempo com microfone e caixas de som para participarem da conversa oral, de preferência sempre utilizando a língua alvo.
- Paralelamente, todos podem participar de um bate-papo escrito, que é salvo automaticamente no histórico de cada usuário. Esse bate papo pode servir para consultas e dúvidas, de vocabulário, por exemplo.
- O professor deve definir previamente uma tarefa sobre a qual vai girar a conversa. Nessa tarefa, que pode ser também um webquest, os alunos deverão visitar páginas na internet na língua alvo. Essa tarefa serve para focalizar a atenção dos alunos no tema proposto, provocar uma situação real de comunicação e dinamizar a conversa.
Vamos experimentar? Deixe seus comentários sobre essa experiência!

Observação: Não é aconselhável fazer uma conversa que também inclua o vídeo, pois a velocidade de conexão de internet que temos hoje em dia, pode prejudicar a qualidade do som e a navegação em outros sites, entre outros motivos que não trataremos aqui.

Leia sobre o livro: Interação na Internet

ARAÚJO, Júlio César; BIASI-RODRIQUES, Bernadete (Organizadores). Interação na Internet- Novas Formas de usar a linguagem. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

Segundo os organizadores, com o presente livro "que reúne resultados de pesquisas desenvolvidas em várias universidades brasileiras, cujas abordagens vão desde a investigação de vários gêneros digitais, chats e o e-forum, às várias formas de concepção, produção e recepção do hipertexto, inclusive em salas de aula de língua estrangeira e materna, pretendemos contribuir para a construção do entendimento acerca de novas formas de usar a linguagem no inusitado contexto da Interação na Internet".

Clique aqui para baixar o sumário e a introdução do livro.

Aproveite também para visitar o site do pesquisador Júlio César Araújo , e, além de poder baixar o primeiro capítulo do livro, você poderá conhecer outras publicações do Júlio César e os interessantíssimos temas pesquisados na dissertação de mestrado e na tese de doutorado.

21 de maio de 2008

Podcasts



O podcast é uma excelente ferramenta no ensino de línguas, tanto materna quanto em LE.
O trabalho da Professora Gládis Leal dos Santos, da Escola CAIC Mariano, em Joinville, com alunos de ensino fundamental foi um sucesso. E um ótimo exemplo de como desenvolver atividades criativas usando o podcast.

Para fazer o seu, primeiro grave o áudio. Use o Audacity. Tem um tutorial neste link.
Para hospedar use o Podomatic, para colocar suas aulas no ar.

No Zen Cast,você encontra material para suas aulas de inglês,francês, italiano e muitas outras línguas. É só usar suas preferências de canais.

A imagem,aí acima, é do site Life Hacker que oferece podcasts em diferentes línguas.

Depois, aproveite para conhecer o BlogCast, do Laboratório de Interação Mediada por Computador, da UFRGS, coordenado pelo Professor Alex Primo

E, para fundamentar suas pesquisas um artigo interessante:
Podcast: uma ferramenta para usar dentro e fora da sala de aula

19 de maio de 2008

Sobre Blogs


A história dos Weblogs começa aqui. E neste artigo você pode conhecer uma retrospectiva dos dez anos dos Weblogs, em 2007.

Depois da fase de diário virtual, o blog entra na era da ferramenta de interação em situações de aprendizagem e a professora Anne Davis, em um post de 2004, apresentava inúmeras sugestões sobre como e porque blogar.

No Brasil, o uso do blogs na educação, como ferramenta de aprendizagem -interação, torna-se mais freqüente a partir de 2005, com uma lista de discussão, que hoje já conta com mais de 500 edublogueiros do Brasil, Portugal e Espanha. Além de discussões sobre ferramentas para blogs e seus usos em sala de aula, os educadores discutem as ferramentas de aprendizagem-interação disponíveis na Web, softwares livres e novidades tecnológicas. Leia a notícia, na Folha de São Paulo.

Na Teia de Blogs,criada pelo Prof.Frederico Guimarães, membro ativo da lista de edublogueiros, você pode ler diariamente o que os educadores andam publicando.

Além de tudo isto, blogar faz bem à saúde. Leia aqui.

17 de maio de 2008

Entrevista Prof.Alex Primo



Entrevista parte 2, neste link.

A parte 3 da entrevista você pode assistir neste outro link.

Dia Mundial da Internet

17 de maio é o dia mundial da internet.
A linha abaixo, mostra a evolução dos recursos atuais e os recursos futuros.

E o EMC ainda tem muito que caminhar...




(clique na imagem para ampliar)
E você, professor, em que fase está?

10 de maio de 2008

Escrita colaborativa

Nas atividades de ensino-aprendizagem de línguas, que têm como base uma teoria sócio-interacionista, é comum o trabalho em grupo, para que os alunos desenvolvam determinadas tarefas.Apenas transpor o trabalho do ensino presencial para o virtual, pode gerar aquele tipo de situação em que cada um faz uma parte, depois junta tudo e entrega ao professor. Isto não é o que se pode chamar de interação.
Se precisamos criar textos com real interação entre os alunos pode-se trabalhar com a atividade de escrita colaborativa.

Para isto existem diferentes ferramentas que, além da interação,possibilitam ao professor uma melhor forma de avaliar o trabalho da equipe que o produziu, como :

- O Equitext é um programa desenvolvido pela UFRGS, que permite a escrita colaborativa. A participação dos alunos é registrada e é possível fazer observações ao lado do texto do colega.
Há um artigo que explica muito bem como ele funciona e você pode ler neste link. Neste outro texto, pode-se ler sobre o desenvolvimento do pensamento crítico , através da escrita colaborativa. E este é o site do Equitext, onde você pode se registrar e criar uma sala virtual para seus alunos trabalharem.

Outro recurso bastante utilizado é o Google Docs. Utilizando esta ferramenta do Google, você pode criar textos de forma colaborativa, e recursos como as imagens. Além disto, você pode compartilhar apresentações de slides e até planilhas. Depois de tudo pronto é só publicar e o trabalho vai para a Web. É um recurso muito usado por professores, em orientações de trabalhos acadêmicos. Mas, neste exemplo, você pode conhecer um texto desenvolvido por professores/alunos brasileiros e alunos das séries iniciais, de Portugal, trocando informações sobre o Carnaval.O texto foi desenvolvido em 2006, e a ferramenta era o Writely, que ao ser comprada pelo Google, tranformou-se no GoogleDocs.
Faça um tour pelo Google Docs, para conhecer os recursos de interação/cooperação.

Outros recursos:
WriteBoard
SynchroEdit

Twitter


O Twitter(microblogs)tem sido uma das ferramentas de comunicação mais discutidas ultimamente. Alguns adoram e não ficam sem usar. Outros odeiam e acham perda de tempo.

Mas, possibilidades interessantes de uso no Twitter são apresentadas neste artigo. O autor discute até mesmo, a possibilidade da ferramenta vir a substituir as listas de discussão.


Daí que, para o uso no ensino de línguas vai ser muito rápido. Então surgiram algumas idéias:
Como o Twitter só permite o uso de 140 caracteres, poderia ser uma estratégia para alunos aprenderem a fazer resumos em LA; estar em contato com o professor fazendo uso de uma língua estrangeira; "seguindo" os colegas e conversando, como forma de uso real de LE,e até mesmo realizar um projeto do tipo Tandem.
Mas, já tem muita gente utilizando o Twitter, como ferramenta de ensino-aprendizagem.
O professor Dave Parry, em dois posts-artigos, demonstra suas conclusões pedagógicas sobre o uso do Twitter. Leia aqui e aqui.
E aqui, você pode conhecer um projeto de ensino de LE.

Leia os artigos-posts, aí acima, e tire suas conclusões.

Se quiser saber mais sobre a ferramenta, visite este blog ,ou o blog oficial do Twitter .
Se quiser se registar e começar a usar, é só ir ao Twitter.

9 de maio de 2008

Definindo conceitos

Comunicação, interação, colaboração, cooperação são palavras muito usadas neste blog.Algumas delas têm conceitos que se confundem. Neste artigo, as professoras Débora Lino Maçada e
Ana Vilma Tijiboy,da UFRGS, explicam muito bem estes conceitos.

Nossos futuros alunos

Você está preparado para ser professor da geração digital?

18 de abril de 2008

Parangolé e Interatividade

Para compreendermos melhor o que é interatividade na sala de aula, o sociólogo, doutor em educação Marco Silva nos traz o “Parangolé” do artista plástico carioca Hélio Oiticica (1937-1980). O parangolé é a união da concepção do artista com a criatividade daquele que o usa, num processo de co-criação. Ou seja, “é uma obra de arte que requer completação e não contemplação“. Trazendo este conceito para a sala de aula, entendemos que a interatividade não se dá através da educação bancária de transmissão de conhecimentos conforme criticava o Professor Freire. Interatividade se dá através da pedagogia do parangolé, em que o professor convida o aprendiz a transformar e manipular a matéria-prima conteúdo, num processo participativo de construção e co-criação.

Vídeo-chats


O Stickam é um excelente recurso para vídeos chats.

Permite conectar professores e alunos, ao mesmo tempo, em diferentes lugares, o que possibilita o planejamento de inúmeras atividades de uso da língua.

A ferramenta não necessita de instalações complicadas ou AVAs e funciona como um player em seu site ou blog. E com este recurso é possível ainda, disponibilizar arquivos em áudio, fotos, vídeos, além, é claro, de transmitir imagens via webcam.

Mais informações no site do Stickam.

Outros recursos que também podem ser usados de forma pedagógica: O Ustream e o Justin.TV

Há ainda o Hot Conference que não é free, mas que oferece boas opções.

15 de abril de 2008

Alguns sites sobre teleconferências e videoconferências.

No capítulo “Teleconferencing and Desktop Videoconferencing” do livro “Creating the Virtual Classroom” de Lynnette R. Porter, a autora aborda algumas vantagens para aqueles que não conheçam ou para aqueles que pretendam usar as tele conferências e as videoconferências.
Abaixo encontram-se alguns sites relacionados às ferramentas:

Tele conferência
- Neste primeiro site você poderá conferir uma breve explicação de como funcionam as tele conferências.
- No site do SENAC é possível conferir alguns exemplos de tele conferências.
- O site Yack Pack promete ser o novo " walkie-talkie em nova versão. Depois de se cadastrar, o site cria um grupo privado de conversa, onde apenas um pode falar por vez. A interface colorida mostra quem está com a palavra, identificado com nomes e imagens. O processo segue três passos: clique em uma pessoa, várias ou em todas, a fala e o envio." Fonte do site
- Alguns órgãos públicos também adotaram as tele conferências como ferramenta importante de comunicação. Podemos citar a prefeitura de Gramado como exemplo.

Videoconferência

- Nesse link da UFRGS você poderá conferir uma breve explicação de como funcionam as tele conferências.
- Alguns exemplos de tele conferências: Um da UNICAMP e outro do Directweb.
- Um exemplo da utilização das tele conferências por órgãos públicos do projeto de Inclusão Digital do Governo Federal.

9 de abril de 2008

MOO E ACTIVE WORLDS

Dica da Olga: Podemos ter uma idéia melhor sobre os ambientes virtuais mencionados por Levy, fazendo um tour pelos sites:

http://www.activeworlds.com/

http://schmooze.hunter.cuny.edu/

Enjoy!!

III Congresso de Educação a Distância dos Países de Língua Portuguesa – pela Internet

De 26/05 a 30/05 acontece o III Congresso de Educação a Distância dos Países de Língua Portuguesa, por áudio conferência, através do ambiente Aulavox. O horário de 10h às 20 h é amplo, haverá apresentação de 68 trabalhos e já há 1242 inscritos.

Neste Congresso não é necessário participar de todas as atividades. Você pode escolher a hora ou a palestra na qual pode participar.

As inscrições são gratuitas
e, sugerimos que você se inscreva, para conhecer o ambiente e aproveitarmos para discutir o processo de interação, neste tipo de ambiente virtual. O link para inscrição gratuita é este: http://www.aulavox.com/expo/inscricao/ead.htm
Participe!

AULAVOX

O Aula Vox é um serviço que oferece salas virtuais para áudio conferências. Muitas delas são pagas, mas existem também eventos gratuitos. Um deles é o do tradutor Danilo Nogueira que dá palestras gratuitas uma vez ao mês, chamadas de "Reunião na sala 7" e qualquer pessoa participar fazendo a sua inscrição. Você pode interagir pelo bate-papo escrito, nem sempre é possível participar com voz pelo microfone. Segundo Danilo Nogueira, existe uma interação com o público sim, mas ela deve ser controlada porque se não "vira uma bagunça" e a palestra não acontece, por isso ele oferece só a participação de chat escrito. É um recurso muito interessante e ainda pouco usado para aula de línguas. Imagino que poderíamos propor uma reunião mensal com os alunos com a proposta de abordar um assunto específico da língua alvo, onde cada um poderia participar de qualquer lugar, mas estaríamos todo juntos no mesmo horário, nos comunicando e interagindo. O que vocês acham?

Porter, em seu livro Creating the Virtual Classroom: Distance Learning with the Internet (1997, p. 168) afirma que a tecnologia da teleconferência permite uma interação real e cria a ilusão de uma sala de aula de verdade, uma vez que o professor e os alunos podem se ver e ouvir. Já sobre as vídeo conferências a distância, na página 169, Porter diz que oferecem a vantagem adicional de que os participantes (alunos e professores) podem também compartilhar textos, informações e mensagens ao mesmo tempo em que assistem à palestra ou reunião, o que permitiria uma maior interação.
Qual é a sua opinião? Serão as palestras virtuais uma boa ferramenta para as aulas de LE?

7 de abril de 2008

E na sala de aula de línguas...


( se você ainda não conhece o Twitter, leia aqui )


A partir destas imagens, pensei em tudo o que ficará obsoleto na escola, com o avanço das tecnologias de informação e comunicação (TICs) e lembrei algumas coisas:

Escrever à mão
Telefonar para o professor
Usar lápis
Usar caneta
Responder questionário
Assistir aulas presenciais
Reunião presencial para trabalho em grupo
Corrigir caderno
Mimeografar exercícios ( argh!)


Ajude a fazer uma lista , aí nos comentários.

6 de abril de 2008

O que é IMC?

Sobre este assunto gostaria de sugerir o link do Alex Primo. A animação feita por ele é bastante interessante e, como ele mesmo diz, ajuda a resumir a idéia do tema. Vamos conferir no site do pesquisador?

4 de abril de 2008

para repensar...



Link para o site indicado ao final do filme.

29 de março de 2008

CMC ,design e interação

Estou lendo o capítulo 4 sobre Computer Mediated Comumunication, do Livro CALL dimensions: options in computer-assisted language learning, de LEVY e STOCKWELL. No capítulo 3, os autores discorreram sobre a importância do design em um curso e como ele é considerado um fenômeno mutilfacetado.Ressaltam ainda, que o professor de línguas precisa lidar com diferentes níveis e com variedade de focos.
Foi ótimo juntar as duas coisas: meu curso de especialização em DI, na UNIFEI, onde aprendo sobre como o Design exige trabalho do professor (nada fácil) e a leitura deste capítulo.
Esta semana lendo o capítulo sobre CMC, recebo via rss, uma postagem do George Siemens, que trata de informação/interação e como a questão do design impacta o ensino-aprendizagem.
Aí vai o slide:

15 de março de 2008

Registros

Este blog é um espaço para registro de pesquisas e trabalho em grupo, da Disciplina Seminário de Tópico Variável em Linguagem e Tecnologia: visão panorâmica sobre o ensino de línguas mediado por computador, do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, da UFMG.